Ao longo de 17 anos, o Laboratório de Estudos da Violência da Universidade Federal do Ceará, tem realizado estudos e pesquisas sobre as temáticas da violência, criminalidade, dos conflitos sociais, direitos humanos, dispositivos de controle e segurança pública. Neste período, os pesquisadores vinculados ao LEV produziram artigos, monografias, dissertações, teses e livros, proporcionando intercambio de conhecimentos com estudiosos de diversas partes do mundo. Ademais, o LEV mantém intenso diálogo com a comunidade acadêmica em geral, além de ser centro de referência nas pesquisas sobre violência e integrar projetos de âmbito nacional e internacional, como o INCT Violência, Democracia e Segurança Cidadã.

Em sua terceira edição, o Seminário Internacional Violência e Conflitos Sociais- ilegalismos e lugares morais enfatizará a pluralidade nos regimes morais instituídos que convivem, convergem ou se confrontam no aglomerado de coletivos que denominamos “sociedade”. O III Seminário Internacional do LEV ressaltará dinâmicas e relações legais e ilegais entre pessoas e agrupamentos, bem como os processos em que determinados sistemas de moralidades se tornam dominantes. A heterogeneidade de códigos socioculturais se baseia em uma multiplicidade de práticas onde relações de subordinação entre códigos se expressam de modo “dilemático” no contexto de práticas culturais que implicam em noções de certo e errado. Os regimes morais se apresentam tão fluídos quanto mais desregulamentadas ou flexibilizadas estejam as sociedades na vida contemporânea? Seria possível pensar que hierarquizações de prioridade entre regimes morais distintos tornam-se fontes de conflitos de poder que apontam para uma crise de modelos de integração no plano empírico e também no plano das elaborações de modelos teóricos?

Em um contexto, onde as insatisfações são afirmadas e os conflitos difundidos, demandas por “reconhecimento” e “consideração” ganham visibilidade. Categorias como “respeito” passam a ser fortemente evocadas, sofrendo um alargamento polifônico. Neste sentido, as problematizações da sociologia das violências e dos conflitos sociais buscam trocar perspectivas teóricas e metodológicas com aqueles estudos desenvolvidos sob a condução de uma sociologia e antropologia da moral. Pois, as expressões simbólicas dos diversos regimes morais estão inseridas em agenciamentos de poder que tornam mais complexas as análises sobre as fronteiras mágicas entre o que se espera socialmente que seja a moralidade nas relações sociais. As afirmações dos diversos segmentos sociais sobre respeito, consideração e demandas por reconhecimento são evocadas por diferentes e coletivos.

Nesse sentido, o III Seminário Violencia e Conflitos Sociais: ilegalismos e lugares morais buscará congregar, de modo criativo e inovador, as redes de pesquisa que se dedicam a pensar esses problemas contemporâneos numa perspectiva sociológica, antropológica e política.